Seminário aborda impactos socioambientais de grandes projetos na Amazônia

Em comemoração aos 10 anos do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM/NUMA), será realizado nesta quinta-feira, 25, o "1º Seminário Impactos Socioambientais de Grandes Projetos na Amazônia: crise, conflitos e perspectivas". O evento ocorre no auditório do Instituto de Geociências da UFPA (IG/UFPA), a partir das 9 horas.

O Seminário tem como objetivo permitir a reflexão crítica sobre os projetos de maiores impactos socioambientais no Pará e problematizá-los a partir de novas perspectivas, permitindo assim pensar o futuro sustentável de nossa Região. A ideia para  evento surgiu a partir de um esforço coletivo envolvendo os discentes da disciplina “Impactos Ambientais dos Grandes Projetos na Amazônia”, ministrada pelo Prof. Dr. André Farias, no âmbito do PPGEDAM. A iniciativa  conta ainda com o apoio dos pesquisadores e discentes do Grupo de Pesquisa Avaliação Ambiental dos Grandes Projetos na Amazônia (GAAGEPAM) e Membros do Projeto de Pesquisa Hidrelétricas, Sociedade e Ambiente no Estado do Pará (HISAM).

Grandes projetos - A (re) configuração da Amazônia, a partir dos anos 2000, é resultado de uma política desenvolvimentista planejada pelo Estado brasileiro, onde os Grandes Projetos continuaram sendo protagonistas. Hidrelétricas, Infraestrutura Logística (Portos, Estradas e Ferrovias), Projetos Agropecuários, Mineração e Monocultivos reafirmaram o processo histórico de consolidação da Região como exportadora de commodities. Por outro lado, os impactos e conflitos socioambientais têm apresentado tendência de crescimento, anulando os possíveis impactos positivos no trabalho e na renda regionais.

Para compreender esses impactos, é necessário entender o contexto histórico das duas ultimas décadas, atualizando o quadro dos grandes projetos e seus efeitos econômicos, sociais, culturais, políticos e ecológicos, assunto que será ponto chave dentro do seminário. Espera-se também promover um debate teórico-metodológico que ajude a apreender este fenômeno em suas contradições e possibilidades para o território da Amazônia Paraense.

Já a escolha da Amazônia Paraense é um recorte metodológico para iniciar uma reflexão das questões socioambientais que o estado do Pará enfrenta. A continuidade das pesquisas e a criação de espaços de debates acadêmicos e sociais devem abranger, paulatinamente, a complexidade da Amazônia Legal e da Pan Amazônia.

Público-alvo - O evento é aberto ao público e tem como público-alvo a sociedade civil organizada, movimentos sociais, empresas e indústrias representantes dos Grandes Empreendimentos, representantes do estado (União, governo do estado Pará e municípios), representantes do judiciário (MPF, MPE e Defensorias Públicas), profissionais liberais e comunidade acadêmica (discentes, docentes e técnicos).

Serviço

1º Seminário Impactos Socioambientais de Grandes Projetos na Amazônia: crise, conflitos e perspectivas

Local: Auditório do Instituto de Geociências da UFPA (IG/UFPA).

Data: 25 de maio de 2017

Hora: 9h às 18h

Texto: Assessoria de Comunicação NUMA/UFPA

Fotos da Semana de Cooperação Amazônia-Caribe são divulgadas

O evento que reuniu pesquisadores nacionais e estrangeiros durante os dias 7 a 13 de maio, já está com as fotos disponíveis para visualização. Confira aqui.

Sobre o evento - A "Semana de Cooperação Científica Internacional Amazônia-Caribe" reuniu pesquisadores da Amazônia e do Caribe para a construção de uma ampla rede de pesquisa e de cooperação científica. O evento foi organizado pelo Núcleo de Meio Ambiente e Instituto de Ciências Jurídicas da Universidade Federal do Pará, além do Cesupa e Laboratoire Caribéen de Sciences Sociales.

A semana destacou a forte ligação existente entre estas duas regiões do planeta, sendo uma essencial à outra. Um dos organizadores da semana, o professor da UFPA Norbert Fenzl, destaca a ligação entre a Amazônia e o Caribe. "As duas regiões são ligadas através da enorme quantidade de sedimentos e nutrientes amazônicos levados para o Caribe pelas correntes do Atlântico", destaca. Segundo ele, a produção de conhecimento e maior compreensão sobre interconexão ecológica entre essas regiões é de vital importância. Para isso, é necessário estabelecer mecanismos de cooperação capazes de avaliar os problemas ambientais e seus efeitos não apenas nas zonas costeiras, mas em relação aos diferentes ecossistemas da Amazônia e do Caribe.

“Enquanto a Amazônia é vista por muitos como o coração da biodiversidade do mundo, a região do Caribe - em especial o Mar do Caribe - é considerada o coração da biodiversidade do Atlântico", complementa o Professor Rodolpho Bastos, também organizador do evento. "Ambas as regiões possuem importância fundamental, não apenas para manutenção da biodiversidade e de processos ecológicos em grande escala, mas também como fonte de recursos que sustentam o meio de vida das populações costeiras e, no caso amazônico, também ribeirinhas,”, conclui.

A ideia do evento foi então integrar pesquisadores de diferentes redes e instituições da Amazônia e do Caribe, visando interligar ações e conhecimentos, possibilitar maior integração entre os pesquisadores e a construção de novos projetos e novas redes. Temas como Zonas Costeiras (continentais, insulares, marinhas e fluviais), Impactos Ambientais, Pressão Social e Econômica, Biodiversidade, Fluxo de Sedimentos e Nutrientes, Pesca, Mudanças Climáticas e Mecanismos de Cooperação estavam entre os principais temas tratados durante a Semana.

Organização e Apoio - Para possibilitar a realização da Semana de Cooperação Científica, diversas instituições contribuiram na promoção do evento. Universidade Federal do Pará, Núcleo de Meio Ambiente da UFPA, Centro Universitário do Pará, Instituto de Ciência Jurídicas da UFPA e Laboratoire Caribéen de Sciences Sociales foram os organizadores do encontro. Integram ainda a comissão organizadora da Semana Amazônia-Caribe os professores Lise Tupiassu (ICJ/UFPA e CESUPA), Otávio do Canto (NUMA/UFPA) e Jean-Raphaël Gros-Désormeaux (LC2S/Universidade das Antillhas).

O evento foi apoiado pela OAB-Pará, CNRS, CEBA, Rede Jambu, GEF, UN Environment, IW Learn, Caribbean Environment Programme, Ideflor-bio, Université des Antilles, CLME, UNDP, Faculdade de Direito, Sectet, Proex e IHGP.

Texto: Fábia Sepêda - Assessoria de Comunicação NUMA/UFPA

Fotos: Fábia Sepêda e Alex Assunção

Pesquisador da Alemanha oferta palestra no NUMA

Como partes das comemorações pelos 10 anos do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM/NUMA), o Núcleo de Meio Ambiente recebe nesta segunda-feira, 22, o professor Dr. Frank Fischer, da Universidade de Humboldt, em Berlin, na Alemanha. A comunidade acadêmica e o público em geral, poderão participar a partir das 9h30 da palestra "Climate Crisis and the Democratic Prospect: Participatory Governance is Sustainable Communities". na sala Jutuba.

Sobre o palestrante - Professor de política e relações globais da Rutgers University e do Institute of Social Sciences at Humboldt University de Berlin. Co-editor da Revista Critical Policy StudiesHandbook of Public Policy (Ed. Edward Elgar). Fischer é um dos mentores do chamado Argumentative Turn, o qual apresenta as bases para a crítica do positivismo, com farta e influente publicação sobre política e políticas públicas, além de ser um palestrante de reconhecimento internacional.

Serviço:

Palestra "Climate Crisis and the Democratic Prospect: Participatory Governance is Sustainable Communities"

Local: Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (NUMA/UFPA), Sala Jutuba (ao lado do Chalé de Ferro, campus profissional)

Data: 22 de maio de 2017

Hora: 9h30

Palestra debate a crise climática e perspectiva democrática

O Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (NUMA/UFPA) recebeu nesta segunda-feira, 22, o pesquisador Dr. Frank Fischer, da Universidade de Humboldt, em Berlin, na Alemanha. A visita foi feita como parte das comemorações pelos 10 anos do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM/NUMA), onde o professor ofertou a palestra "Climate Crisis and the Democratic Prospect: Participatory Governance is Sustainable Communities".

Estiveram presentes no evento a comunidade acadêmica em geral. Durante as discussões sobre o assunto, o pesquisador Alemão destacou com frequência a importância de uma constante manutenção da democracia na garantia de um futuro a sociedade. Segundo ele, estaríamos vivendo em um momento frágil da democracia, sendo necessário reforçar estratégias para que os direitos se mantenham. Além disso, Fischer deu grande destaque ao desenvolvimento sustentável, ressaltando que a participação social é fundamental também nesse sentido.

Sobre o palestrante - Professor de política e relações globais da Rutgers University e do Institute of Social Sciences at Humboldt University de Berlin. Co-editor da Revista Critical Policy StudiesHandbook of Public Policy (Ed. Edward Elgar). Fischer é um dos mentores do chamado Argumentative Turn, o qual apresenta as bases para a crítica do positivismo, com farta e influente publicação sobre política e políticas públicas, além de ser um palestrante de reconhecimento internacional. 

Pesquisadores realizam visita técnica à APA Algodoal

Pesquisadores do Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (NUMA/UFPA) realizaram nos dias 11 e 12 de maio Visita Técnica à Área de Proteção Ambiental (APA) Algodoal-Maiandeua, no nordeste do estado do Pará. A Visita foi conduzida pelos professores Norbert Fenzl, Otávio do Canto, Rodolpho Bastos, Sérgio Moraes (PPGEDAM/NUMA), Lise Tupiassu e Luly Fischer (PPGD/ICJ); além de alunos dos programas de  pós-graduação; Márcia Monteiro, do Ideflor; e pesquisadores estrangeiros que participavam do Seminário Científico Internacional Amazônia-Caribe.

Na APA, os visitantes percorreram mangues, currais e ocupações nas praias e encostas. Além destas atividades, participaram ainda da palestra do gerente da Gerência da Região Administrativa do Nordeste Paraense (GRNE/Ideflor-bio), Luiz Coltro, que falou sobre a gestão da APA Algodoal-Maiandeua e dos problemas ambientais.  A apresentação foi realizada na Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Maria de Lourdes Ferreira.

APA - O Conselho Gestor é um órgão de constituição paritária entre Poder Público e Sociedade Civil, criado a partir da criação da Área de Proteção Ambiental (APA) de Algodoal-Maiandeua no ano de 1990. Sua presença é fundamental na permanência da preservação da área protegida, tendo vários competências, como manifestar-se quanto a obras ou atividades capazes de causar impacto na unidade de conservação ou seu entorno. 

As áreas de proteção são categorizadas como Unidade de Conservação da Natureza, com um certo grau de ocupação humana, dotada de atributos abióticos, estéticos ou culturais especialmente importantes para a qualidade de vida e o bem-estar das populações humana. Os objetivos básicos são proteger a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais.

Texto: Fábia Sepêda - Assessoria de Comunicação NUMA/UFPA

 

Número de visitantes: