Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

NUMA auxilia na criação do primeiro comitê de bacia do Pará

Publicado: Segunda, 13 Março 2017 10:45 | Acessos: 171
imagem sem descrição.

Na próxima terça-feira, 14, será apreciado pelo Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERH) o pedido de reconhecimento do primeiro comitê de bacia hidrográfica do Pará. A ação conta com a ajuda do Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (NUMA/UFPA) que, com o acompanhamento da Semas, possibilitaram que as lideranças do movimento pró-Comitê Gestor identificassem a extensão da Bacia do rio Marapanim. A reunião será no auditório da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

O movimento em favor do Comitê Gestor da Bacia Hidrográfica do Rio Marapanim começou há mais de 11 anos, quando surgiram os primeiros conflitos de natureza hídrica no território, que envolve 12 municípios e 217 nascentes de água, algumas já bastante impactadas.

Antes de realizar pré-conferências e a conferência intermunicipal de Marapanim, em março de 2017, houve um exaustivo processo de discussão nas comunidades, sobre a necessidade de preservação e recuperação das fontes, além da gestão da água, fundamental para manutenção e implantação de projetos produtivos na região como piscicultura, fruticultura, avicultura e outras atividades como o cultivo de dendê e a pecuária. Como se trata de uma das áreas mais antigas de ocupação e colonização na Amazônia, o território da Bacia do Marapanim já sofreu muitos impactos que resultaram no desaparecimento de muitos rios e igarapés.

Com base nas leis federal e estadual de recursos hídricos o movimento em defesa da Bacia Hidrográfica do Marapanim reúne trabalhadores, empresários, organizações como as colônias de pescadores, sindicatos de produtores, reservas extrativistas, como também representantes do setor público e pesquisadores de diversas entidades e instituições científicas, de fomento, assistência técnica e de crédito.

As instituições públicas federais como as Universidades e as Secretarias Municipais de Educação, Meio Ambiente, Agricultura e Pesca estão envolvidas no movimento, que está levantando as principais áreas impactadas e apontando soluções  para conter a poluição do rio Marapanim e seus afluentes, além identificar os principais consumidores de água na região.

A Bacia - A Bacia Hidrográfica do Marapanim possui a extensão de 906,3km, em um território ocupado por mais de 526 mil habitantes. Essa extensão é composta pelos municípios de Castanhal, Curuçá, Terra Alta, São Francisco, Igarapé-Açu, Maracanã, Magalhães Barata, Santa Izabel do Pará, Santo Antônio do Tauá, São Caetano, Vigia de Nazaré e Marapanim.

Mais informações em: https://www.facebook.com/baciadomarapanim/

registrado em:
Fim do conteúdo da página

Today 15

Yesterday 44

Week 15

Month 694

All 694

Currently are 48 guests and no members online

Kubik-Rubik Joomla! Extensions